VÁLVULA SOLENÓIDE

12:39 By ACQUATICOS , In

A aplicação de CO2 em um aquário deve ser sempre controlada para evitar o excesso de CO2 e causar à redução do pH que pode causar stress para os peixes, com a adição de CO2 não é necessário durante a noite, pois as plantas usam oxigênio e não CO2 assim devemos desligar e dar uma pausa na adição de CO2, mas para isto funcione corretamente precisamos de uma válvula solenóide ligado entre a válvula redutora de pressão e válvula de agulha e ao temporizador da iluminação.
Alguns reguladores de pressão possuem como dispositivo de segurança um filtro interno e uma válvula de alívio de pressão para proteger o equipamento e o mecanismo interno do regulador de danos causados por excesso de pressão, e assim podemos usufruir de todos os benefícios proporcionados por uma válvula solenóide quando usada para fechar completamente o fluxo de gás.
VÁLULA REDUTORA DE PRESSÃO COM VÁVULA SOLENÓIDE E VÁLVULA DE AGULHA





A válvula solenóide é o elemento de controle e método de automatização que estão sendo usados em um grau crescente nos mais variados tipos de equipamentos e em muitas áreas, onde o fluxo de fluido deve ser controlado automaticamente sendo que sua é de desligar, lançar dose, distribuir ou misturarem fluidos como em sistemas hidráulicos, sistemas de irrigação por aspersão automática, máquina de lavar roupa e máquina de lavar lousa são utilizadas para controlar a entrada de água, no aquarismo é utilizada como a forma mais fácil e barata de controle na adição de dióxido de carbono em nosso aquário.
VÁLVULAS SOLENÓIDES UTILIZADAS EM SISTEMAS DE IRRIGAÇÕES


VÁLVULA SOLENÓIDE UTILIZADA EM MÁQUINAS DE LAVAR ROUPAS E DE LAVARR LOUSAS


VÁLVULA SOLENÓIDE UTILIZADA NO AQUARISMO




A válvula solenóide é uma válvula eletromecânica também chamada de eletroválvulas, pois necessita utilizar uma corrente elétrica para deslocar um pino para realizar a simples tarefa de abertura e fechamento e possue duas partes principal o solenóide e a válvula, o solenóide é controlado por uma corrente elétrica através de uma bobina que é formada por um fio enrolado ao redor de uma superfície cilíndrica e quando uma corrente elétrica passa por este fio, ela gera uma força eletromagnética no centro da bobina solenóide, fazendo com que o êmbolo da válvula seja acionado, onde converte energia elétrica em energia mecânica que, por sua vez, abre ou fecha a válvula mecânica desta forma permite ou fecha o fluxo de fluido (líquido ou gás). Outra parte que compõem a válvula é o corpo, que por sua vez, possui um dispositivo que permite a passagem ou não de um fluído, quando sua haste é acionada pela força da bobina que atua na forma de um eletroímã a força faz com que o pino seja puxado para o centro da bobina, permitindo a passagem do fluído. Já o processo de fechamento da válvula solenóide ocorre quando a bobina perde energia, o processo contrário ocorre, pois o peso do pino em conjunto com a força da mola instalada na parte superior da válvula faz com que o pino volte a bloquear a passagem do fluxo do fluído através da válvula.
GRÁFICO COM DEMOSTRAÇÃO DE COMO FUNCIONA A BOBINA DE UMA VALVULA SOLENÓIDE

GRÁFICO COM DEMOSTRAÇÃO DE COMO FUNCIONA O CORPO DA VALVULA SOLENÓIDE

As válvulas solenóides podem ser classificadas quanto ao seu tipo de ação, que podem ser ação direta ou indireta, sendo determinadas pelo tipo de operação. Para baixas capacidades e pequenos orifícios de passagem de fluído, devem ser usadas às válvulas de ação direta. Já a válvula solenóide de ação indireta, que é controlada por piloto, é utilizada em sistemas de grande porte que elimina a necessidade de bobinas e pinos maiores.
Existe uma grande variedade de modelos diferentes que estão disponível o que nos permite selecionar especificamente uma válvula para ser para atender ao pedido em questão, mas as que utilizamos em nosso sistema de injeção de CO2 são as de ação direta, pois são as mais empregadas em sistemas de alta pressão.
Todos os materiais utilizados na construção das válvulas são cuidadosamente selecionados de acordo com os variados tipos de aplicações, desta forma os materiais do corpo para fluido neutro são feitos de latão e bronze já para fluidos com altas temperaturas como, por exemplo, vapor é de aço resistente à corrosão sendo garantida contra o ataque corrosivo por meio neutro ou ligeiramente agressivo, para o sistema de vedação as condições mecânicas, térmicas e químicas em um fator aplicativo na seleção do material de vedação, pois o material padrão para fluidos neutros em temperaturas até 90°C é normalmente FKM, já para temperaturas mais elevadas EPDM e PTFE são empregados, sendo o PTFE é universalmente resistente a praticamente todos os fluidos de interesse técnico, e o material do solenóide que entra em contacto com o líquido ou gás são feitas de aço resistente à corrosão e encapsulado em epóxi, com este sistema, o conjunto bobina magnética, conexões, são integradas em uma unidade compacta resultando e garantindo o isolamento elétrico dando proteção contra as vibrações, bem como de efeitos externos corrosivos, já para laboratório, todas as partes do atuador solenóide que entrem em contacto com o líquido deve ser feita de um material apropriado para as aplicações de temperatura dado a substância química, meio ambiente e pressão, muitos materiais são utilizados, tais como PEEK, 430 SS, cerâmica, epóxi, poliéster e Fluorelastômeros.
Devemos levar em consideração as especificações da válvula como tipo de fluido e suas características, temperatura máxima admissível, condições do ambiente, tolerância de tensão, detalhes da instalação, para termos válvulas compatíveis com fluídos, pois a não compatibilidade pode influenciar o desempenho e o funcionamento da válvula, o PTFE resiste a muitos produtos químicos agressivos ou corrosivos, mas por razões de segurança e da pressão entre a entrada ser maior que a pressão de saída devido à restrição causada pela válvula, use sempre válvulas de metal para gases sob pressão e devemos determine a temperatura, pressão e vazão em que sua válvula irá operar, em geral, válvulas de metal de resistir a temperaturas e pressões mais altas do que as válvulas de plástico.
VÁLVULA SOLENÓIDE COM CORPO DE METAL



VÁLVULA SOLENÓIDE COM CORPO DE PLÁTICO


Muitos aquaristas ligam à válvula solenóide em seu sistema de injeção de CO2 separado da válvula reguladora de pressão, por uma mangueira não acho muito seguro, pois a pressão exercida pelo CO2 e muito forte e pode acabar por soltar esta mangueira que fica entre a válvula reguladora de pressão e a válvula solenóide. Desta forma acho que a maneira correta e segura é a válvula solenóide ligada diretamente na válvula reguladora de pressão, pois assim não existe a possibilidade de causar algum tipo de vazamento ou soltura da mangueira por meio da pressão exercida pelo CO2.
VÁLVULA SOLENÓIDE LIGADA DIRETAMENTE NA VÁLVULA REGULADORA DE PRESSÃO



VÁLVULA SOLENÓIDE LIGADA SEPARADAMENTE DA VÁLVULA REGULADORA DE PRESSÃO

Toda válvula solenóide ter uma forma correta de ser instalada como entrada e saída do CO2, pois devemos obedecer às instruções do fabricante para evitar danos mecânicos à válvula, devemos também tomar o cuidado para não instalar as válvulas solenóides com a tensão diferente da rede elétrica, por exemplo, de 110V e a alimentação elétrica de 220V ou vise versa.
ENTRADA E SAÍDA DO CO2 NA VÁLVULA SOLENÓIDE

Mas vale a pena ter um sistema de injeção de CO2 com uma válvula solenóide, pois possui baixo consumo de energia (2W), podemos controlar o pH e ainda economizar CO2.

CLEBER LUIZ DA SILVA

16 comentários:

Robson Galhardo disse...

minha válvula solenóide já queimou a bobina 2 vezes , o que será que estou fazendo de errado?

Anônimo disse...

meu email bobgalhardo@gmail.com

Anônimo disse...

.....................

João Ângelo ™ disse...

OI AMIGO, PODERIA ME AJUDAR COM UMA DUVIDA? TENHO UMA VÁLVULA SOLENÓIDE UTILIZADA EM MÁQUINAS DE LAVAR ROUPAS E PRETENDO FAZER UM SISTEMA DE IRRIGAÇÃO. GOSTARIA DE SABER SE ELA TRABALHA COM A PRESSÃO DA DECLIVIDADE, TIPO A PARTIR DE UMA CAIXA D'ÁGUA COM CAÍDA DE 1 METRO OU SÓ COM A PRESSÃO DO CANO DA RUA. PRETENDO TAMBÉM COLOCAR UM TIMER ACOPLADO.
OBRIGADO PELA ATENÇÃO.
MEU EMAIL:
jaceri@esalq.usp.br

Anônimo disse...

Posso ligar a válvula solenoide em um timer para que se desligue automaticamente,ou não porque preciso fechar o fluxo de co2 do cilindro manualmente?
Meu email:
ede.tavares@uol.com.br

Anônimo disse...

Por favor, me tira a mesma dúvida di João Angelo. Ela funciona sem a pressão do cano da rua ?

Anônimo disse...

( meu e-mail: gabijoris@hotmail.com)

Anônimo disse...

Gostaria de tirar uma duvida: qual valvula solenoide devo usar para controlar a saída de gás de cozinha? Quanto custa?

Jorge disse...

Post muito interessante e completo!

Mauricio disse...

Muito boa matéria, sou tecnico em automaçãoe confirmo o conhecimento dest post sobre solenoide parabens

missie antonio carneiro de souza disse...

como faco para instalar uma valvula em uma torneira de chopeira

missie antonio carneiro de souza disse...

como faco para instalar uma valvula em uma torneira de chopeira

Anônimo disse...

qual seria o modelo de solenoide para trabalhar com água em temperaturas de até 60 graus?
André - 16 988772258

Anônimo disse...

gostaria de saber qual o consumo de energia de válvula solenoide de uma de 3

Valvula Hydra disse...

Amei as dicas !! Queria saber se essa valvula hydra são boas ?

Alberto Neves disse...

opa...estou fazendo meu TCC e achei seu post bem pertinente. quero te citar.. qual seu nome?
obrigado

Postar um comentário

DEIXE AQUI SEU COMENTARIO