RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA GERADA PELA ILUMINAÇÃO

08:24 By ACQUATICOS , In

Embora a luz solar é composto de radiação ultravioleta, com três comprimentos de onda, UVA, UVB e UVC, fabricantes de lâmpadas para aquários ou para qualquer outro propósito para esse efeito geralmente não consegue imitar as características da radiação ultravioleta da luz solar.
RADIAÇÃO EMITIDA PELA ILUMINAÇÃO SOLAR

PENETRAÇÃO DA RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA NA CAMADA DE OZÔNIO

A definição da radiação ultravioleta é classificada em três categorias. Sendo a UV-A é a radiação, logo abaixo da porção violeta do espectro visível e é constituída pelos comprimentos de onda entre 320 e 400 nanômetros (nm), é o comprimento de onda da luz visível e é responsável pelo bem estar dos peixes seu azul 420nm (UVA) intervalo é particularmente importante para os corais e invertebrados marinhos e também ajuda a estimular a alimentação e comportamento reprodutivo dos peixes. Os raios UV-A são invisível ao olho humano e é o menos destrutivo.
O UVB é o comprimento de onda não visível de iluminação, sendo o espectro em que os seres humanos se brônzea, com comprimentos de onda UV-B (280-320 nm) são biologicamente destrutivas através de superexposição, causa queimaduras tipos solares, mas sendo componente vital para répteis em 320nm de violeta B (UVB) é necessário para muitos animais para assimilar o cálcio em seus sistemas.
A terceira categoria consiste UV de comprimentos de onda entre 200 e 280 nm e é denominada UV-C. A atmosfera da Terra absorve a radiação UV-C, produzidos pelo sol e, portanto, não é encontrado naturalmente. No entanto, UV-C pode ser produzido UV-C por meios artificiais como lâmpadas elétricas especiais, tais como as empregadas por aquaristas para a esterilização de água do aquário. E o UVC é o comprimento de onda usada em esterilizador ultravioleta que mata as bactérias prejudiciais. Este comprimento de onda é muito perigoso para todos os animais.
ESPECTRO DA RADIAÇÃO UV EM COMPRIMENTOS DE ONDAS


Devemos observar que a radiação UV não é visível ao olho humano. Não é, como muitos acreditam estar relacionadas com o azul da luz, pois a fluorescência é o fenômeno em que a luz UV é absorvida por certos pigmentos e emitida na porção visível do espectro. Medimos a saída de lâmpadas populares do aquário usando um instrumento chamado radiômetro, fabricado pela UVP, este radiômetro utiliza sondas separadas uma para medir a radiação UV-A ponto de calibração (de 365 nm), os outros sentidos UV-B (ponto de calibração de 310 nm). Este instrumento fornece relatórios de energia UV em unidades de microwatts por centímetro quadrado por segundo - μW • cm ² • s.
Os aquaristas não precisam se preocupar com a radiação ultravioleta, pois a maioria das lâmpadas usa um bulbo de vidro que protege a produção de UV no tubo interno, reduzindo UV para níveis seguros. Todas as lâmpadas fluorescentes por ter seladas em seus tubos de vidro um gás inerte, geralmente argônio, e uma pequena gota de mercúrio, quando acesa, vaporiza a corrente elétrica que flui através dos eletrodos de mercúrio no tubo e em seguida, excita os átomos de mercúrio suficiente para produzir um fluxo constante de luz, principalmente a luz ultravioleta, mas com um pouco de luz visível azul e verde, as lâmpadas fluorescentes são feitos de vidro que permite a passagem em pequena quantidade da luz ultravioleta através dele, por também ser revestidos em seu interior com pó de fósforo fluorescente, que converte a energia da luz ultravioleta em luz visível de uma cor que depende da sua composição química exata, desta forma as lâmpadas fluorescentes não conseguem produzir corretamente a radiação UV. As lâmpadas fabricadas para emitir luz ultravioleta têm menos fósforo em pó, desta forma menos radiação ultravioleta é convertida em luz visível e por ser fabricadas com vidro transparente que permite que a luz ultravioleta o atravesse, o quartzo e o vidro mais apropriado, pois permite a transmissão de luz ultravioleta, sendo o mais usado para esse motivo.
ESPECTRO DE LUZ VISÍVEL

Não é raro ver anúncios lâmpada em que as lâmpadas fluorescentes não fazem qualquer energia ultravioleta. Não é assim, pois o montante de radiação UV gerado pode ser baixo, mas está lá, pois esta energia UV é produzida por um arco elétrico entre os eletrodos localizados em cada extremidade do tubo da lâmpada, o fósforo dentro do tubo absorver os raios UV invisíveis e fluorescentes e os emiti na maior parte do espectro visível, assim, no entanto, alguns UV são transmitidos através do tubo de vidro, sendo assim estas lâmpadas gera uma quantidade de energia UV relativamente baixa.
Alguns raros fabricantes de lâmpadas normalmente descrevem, para cada produto, a porcentagem da produção total do tubo de luz que é emitida como luz ultravioleta. Assim, uma lâmpada pode ser descrita como produtora de "30% dos raios UVA e UVB 5%" e isto significa que os restantes 65% da produção foi emitida como luz visível. Isto dá uma indicação do equilíbrio entre a UVA, UVB e luz visível.
Entretanto a poucos estudos de UV produzidos pela iluminação artificial estão disponíveis para os aquaristas.
Lembre se a luz ultravioleta é perigosa sua exposição excessiva é nociva aos olhos humanos e a pele.


CLEBER LUIZ DA SILVA

0 comentários:

Postar um comentário

DEIXE AQUI SEU COMENTARIO