TEMPERATURAS DE COR NA ESCALA KELVIN

05:55 By ACQUATICOS , In

Essa denominação foi criada por um físico escocês no século 19, por Lord Kelvin com a finalidade de medir os desvios de proporção na composição da luz branca, ou seja, quando predominava o vermelho, o amarelo, o azul. Por este processo, imaginava-se um hipotético objeto totalmente negro chamado por ele de 'corpo negro’, porque absorveria 100% de qualquer luz que incidisse sobre ele que, ao ser aquecido, passaria a emitir luz. E, além disso, a luz emitida iria mudando gradualmente de cor. A analogia foi feita com um pedaço de metal (teórico corpo negro) que ao ser aquecido mudava de cor começando com o vermelho e passando pelo amarelo, pelo branco e pelo branco azulado.
ESCALA DE TEPERATURA DE COR


A partir disso criou uma escala de temperaturas, à qual deu seu nome e estabeleceu que à temperatura de 1.200 K (graus Kelvin) o corpo negro tornaria vermelho. E que quanto mais aquecido, mais sua tonalidade se alterava, correspondendo a temperaturas intermediárias. Assim, a escala Kelvin de temperatura de cor associa cor e temperatura. A escala Kelvin, além de utilizada na representação de cores, é uma das escalas utilizadas para medir quaisquer temperaturas. Nesta escala, o valor zero é associado à temperatura correspondente ao chamado "zero absoluto". Esta temperatura corresponde a -273,3 graus na escala Celsius de temperatura; a temperatura de 0 grau na escala Celsius corresponde a 273,3 graus na escala Kelvin de temperatura. À temperatura de mais ou menos 700 graus Celsius (ou 973,3 K) o corpo negro hipotético começaria a emitir luz, com a tonalidade vermelho escuro. Em seguida, quanto mais aquecido, mais as tonalidades iriam variando, até atingir o azul. Esta associação de cor e temperatura foi validada mais tarde em experiências efetuadas pelos cientistas. É a temperatura de cor que determina a aparência, a cor da luz.
TEMPERURA EM KELVIN EM ALGUMAS SITUAÇÕES DIARIA

ESCALA COM VALORES EM KELVIN

















Para medirmos a temperatura da luz utilizamos a unidade de medida Kelvin (K). Uma fonte de luz com cerca de 2000K é amarelada como uma vela, enquanto que uma com 6500K será branco puro e com 10.000K será já um branco azulado. Temos de ter em atenção que quanto mais elevado é a temperatura de cor, menos vai ser o seu fluxo luminoso. A cor da luz é determinada pela sua temperatura de cor. A unidade de medida é o Kelvin (K). Uma fonte de luz com 6.500K será branco puro, 10.000K branco azulado e 20.000K serão azuis. Não confundir o número de Kelvins de uma lâmpada com a sua potência ou fluxo luminoso. Temperaturas de cor mais altas não têm mais luz que temperaturas de cor mais baixas. É o contrário que acontece à medida que sobe a temperatura de cor de uma lâmpada diminui o seu fluxo luminoso. A fonte de emissão da luz classificada de acordo com o seu espectro de emissão (distribuição espectral), sendo esse determinado pela distribuição de sua energia segundo diferentes comprimentos de ondas medida em nanômetros(nm).Com isso cada cor tem um valor em nanômetro. Um nanômetro equivale a um milionésimo de milímetro.
TABELA COM VOLORES DAS CORES EM NANÔMETRO

Para aquários plantados devemos escolher lâmpadas que tenham a temperatura de cor o mais próximo possível da luz solar cerca de 5800k. A esta temperatura de cor corresponderá comprimentos de onda adequados à fotossíntese, com índices de restituição cromáticas (IRC) bastante aceitáveis. O que eu normalmente utilizo são lâmpadas 6500K nas zonas que quero que as plantas cresçam mais em altura e 8000K nas zonas de tapete, para as plantas se manterem mais rasteiras. Sempre que possível a combinação das duas temperaturas é só de si uma boa ajuda para a obtenção de bons resultados.
Kelvin é usado na indústria de iluminação para definir a temperatura de cor de uma lâmpada. As lâmpadas de cor mais alta temperatura acima de 5.500 K é fria verde-azul, e as lâmpadas de cor mais baixa temperatura abaixo de 3000 K são quentes amarelo-vermelho. Quando falamos em luz quente ou fria, não estamos nos referindo ao calor físico da lâmpada, e sim a tonalidade de cor que ela apresenta ao ambiente. Hoje estão disponíveis no mercado lâmpadas fluorescentes com uma nova tecnologia, que permite apresentar várias temperaturas de cor. Antes elas só existiam em tom frios e, como estas lâmpadas emitem menos calor, são erroneamente chamadas de lâmpadas frias.
Temperaturas de cor são normalmente expressos em unidades chamadas kelvin (K). Observe que o Kelvin termo é usado frequentemente, mas não é tecnicamente correto, o correto é temperatura de cor na escala Kelvin.
Nunca escolha suas lâmpadas pela tempera de cor na escala Kelvin, sim observar outros fatores da lâmpada a ser utilizada como IRC, PAR, LÚMEN e LUX, pois todos são fatores importantes na escolha de uma lâmpada para seu aquário.

CLEBER LUIZ DA SILVA

1 comentários:

Jonathan Verbenia disse...

Parabens pelas explicações!!!

Postar um comentário

DEIXE AQUI SEU COMENTARIO